Métodos de Investigação Não Invasivos – Geofísica aplicada – Método GPR

Métodos de Investigação Não Invasivos – Geofísica aplicada – Método GPR

Os métodos geofísicos de investigação conseguem fornecer uma visão do subsolo sem a necessidade de sondagens e mobilização de maquinário pesado. Esses métodos são utilizados a fim de se caracterizar alvos e identificar anomalias em subsuperfície dentro de um contexto geológico, geotécnico, arqueológico, ambiental e urbano.

Método GPR –Ground Penetrating Radar

Também conhecido como Georadar ou radar de penetração no solo, trata-se de um método de aquisição de dados e imagens de subsuperfície por meio da propagação de ondas de rádio de baixa ou alta frequência.  Devido às variações nas propriedades eletromagnéticas dos diversos tipos de materiais no subsolo somado as características da onda emitida, o GPR detecta anomalias e interferências de aproximadamente 10 m com boa resolução. O GPR encontra larga aplicação em estudos hidrogeológicos, geotécnicos para delimitação de zonas de ruptura, fraturas, imageamento de fundações e tubulações.

Seu princípio consiste na introdução de ondas no subsolo por meio de uma antena de dupla frequência acoplada dentro do equipamento. As ondas são refletidas pelo corpo e captadas pelo equipamento. Sua frequência está diretamente relacionada com a profundidade de investigação e resolução das imagens obtidas, sendo que a resolução das imagens melhora quando a frequência das ondas é baixa. Porém nesse caso a profundidade investigada é baixa (0,5 – 5 m)

Siga GeoSam para ficar atualizado sobre notícias e artigos.

      

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cotação