Poço Tubular para Captação de Água

Poço Tubular para Captação de Água

Somamos nossa credibilidade em estudos técnicos à experiência de 37 anos da nossa parceira para apresentar proposta de investimento coletivo com valores diferenciados para instalação e regularização de poços de captação de água potável.

Antes de apresentar valores faz-se necessário entendimento da obra. Isso mesmo, trata-se de um instrumento técnico instalado no quintal da sua casa que vai garantir o bem mais preciso para sustentação da vida: ÁGUA POTÁVEL!


O SISTEMA

Poços artesianos profundos (acima de 80 metros) fornecem acesso a águas subterrâneas denominado Aquífero Confinado/Fraturado. São como “rios e lagos” subterrâneos, protegidos das interferências e contaminações mais superficiais. Portanto, quanto mais profundo maiores garantias de qualidade da água.

A execução de poços tubulares é composta por várias etapas até a utilização final para consumo. Envolve a perfuração propriamente dita, o revestimento, a limpeza e desenvolvimento, instalação da bomba, painel elétrico e sistema de distribuição hidráulica.

Neste link https://www.cprm.gov.br/Noçoes-Técnicas-Poços-Água  é possível ter uma noção mais detalhada das diferentes variáveis que envolvem um trabalho de qualidade e garantia de satisfação e saúde do empreendedor.

Em síntese, a instalação consiste na mobilização de maquinário pesado para perfuração em Solo, Rocha Alterada, e Rocha Sã. Para evitar contaminação e turbidez na água captada é necessário revestimento de aço nas duas primeiras camadas, que pode corresponder até 80% do total da perfuração.

A maioria dos casos na Grande Belo Horizonte, poços de 100 metros por exemplo podem precisar de revestimentos entre 30 e 50 metros na maioria dos casos.

É importante ressaltar essa informação porque em um orçamento justo deve estar claro o valor do custo/ metro perfurado e, principalmente, o custo/metro do revestimento que pode elevar o custo do investimento.

Abaixo uma ilustração do sistema:


LEGISLAÇÃO

A intervenção em aquíferos estaduais (bacias hidrográficas dentro de MG) é regida pela Lei nº 21.972, de 21 de janeiro de 2016, a operacionalização da outorga retornou a cargo do Instituto Mineiro de Gestão das Águas, regulamentado pelo Decreto 47.343 de 23 de janeiro de 2018

Em aquíferos sob domínio da União, aqueles corpos de água que passam por mais de um estado brasileiro ou por território estrangeiro, em as águas armazenadas em reservatórios administrados por entidades federais (açudes do DNOCS e da CODEVASF, por exemplo) a regularização passa a ser regulada pela  ANA – Agência Nacional de Águas.

Para construção do poço tubular é primordial que o empreendedor formalize primeiro o pedido de perfuração e depois entre com processo técnico administrativo da outorga, assessorado por Geólogo ou Engenheiro de Minas, ambos habilitados no sistema CREA/CONFEA.

Para estar regular com os órgãos fiscalizadores é necessário:

  • Autorização de Perfuração;
  • Processo de Outorga contemplando:
    • Documentação de qualificação jurídica do requerente;
    • Formulários técnicos de caracterização da intervenção;
    • Balanço hídrico de consumo;
    • Testes de bombeamento, interferência e eficiência do sistema;
    • Anotação de Responsabilidade Técnica do responsável;


PROPOSTA AOS EMPREENDEDORES

Os propósitos e benefícios da realização deste trabalho visam:

  • Autonomia de abastecimento;
  • Valorização do terreno;
  • Até 100% de economia nas contas de água;
  • A única desvantagem são os poços mal construídos e sem acompanhamento técnico, que representam prejuízo para os clientes e aos mananciais subterrâneos.

Apresentamos tabela condições para promocionais:

Será um grande prazer em atendê-los e sanar quaisquer dúvidas.

Ligue-nos e faça seu orçamento definitivo.

Siga GeoSam para ficar atualizado sobre notícias e artigos úteis. 

   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 3 =

Cotação